BLOG, Inovação

Descomplicando o ESG: o que é e como aplicar na sua empresa?

Você sabe o que é ESG? Em todo o mundo, organizações de diferentes portes e segmentos estão correndo para adaptar seus serviços e processos, buscando adotar boas práticas ambientais, sociais e de governança corporativa. O ESG, ou ASG em português, significa “Ambiente, Social e Governança”, e é um conceito que deve pautar grandes mudanças nas empresas e negócios nos próximos anos, impactando diretamente os consumidores.

Mais do que uma palavra da moda, o ESG reflete as mudanças de comportamento do consumidor, assim como uma maior preocupação com questões ambientais, éticas e de segurança, além da própria satisfação dos clientes, experiência dos colaboradores e outros pontos. Na prática, cada pilar do ESG representa o comprometimento dos líderes e do mercado com a transformação social, ambiental e das práticas administrativas nas instituições. Por isso, o conceito também é um dos novos critérios para investimentos no mercado financeiro.

Quer entender melhor cada pilar e como aplicar na sua empresa, ampliando as oportunidades de negócios e aperfeiçoando a experiência dos seus clientes? Então, acompanhe a leitura e saiba mais a seguir! 

Quais os pilares do ESG e qual a importância para os negócios?


Os três termos que compõem a sigla ESG formam os pilares de um novo mindset para as empresas e lideranças, onde é essencial reconhecer o impacto dos negócios para o planeta, assim como a responsabilidade social e corporativa com os clientes, funcionários e demais stakeholders.

esgMeio ambiente (environmental, E)

Se antes a questão ambiental era vista como algo secundário e até mesmo uma possível fonte de prejuízos, agora ela será primordial para a sobrevivência dos negócios – tanto pela busca dos consumidores, quanto pelo próprio impacto e desafios ambientais presentes em todo o mundo. De acordo com um estudo realizado pela Deloitte, 81% dos CXOs acreditam que os negócios devem investir mais na preservação ambiental.

Nesse sentido, as práticas e recomendações de ESG em relação ao meio ambiente envolvem diferentes temas como a redução do desmatamento, melhor gestão e redução de resíduos, minimização do aquecimento global e emissão dos gases do efeito estufa, gestão de desastres naturais, entre várias outras ações e possibilidades. Para obter o reconhecimento do mercado e, de fato, gerar um impacto ambiental positivo, as empresas devem modificar seus processos e fluxos de trabalho, além de adotar novas tecnologias e boas práticas, visando a conservação e restauração ambiental.

Entenda também O que é economia regenerativa e como preparar a sua empresa 


Responsabilidade social (social, S)

O foco na experiência interna dos colaboradores, assim como a experiência dos clientes a partir de diferentes pontos de contato com a marca, é um dos aspectos essenciais do ESG. Isso porque as empresas têm uma responsabilidade social, que envolve desde o atendimento e relacionamento com a comunidade onde está inserida, até o respeito às leis trabalhistas e direitos humanos.

Para adotar posturas que visam potencializar essa responsabilidade social, as empresas podem investir em programas de inclusão, acessibilidade, assim como segurança e proteção de dados, como a LGPD. Além de buscar engajar e envolver mais os colaboradores nos processos, em relações mais humanizadas e horizontais.


Leia mais e saiba Como aplicar os pilares do design para uma liderança mais inclusiva



Governança (governance, G)


O último grande pilar do ESG se refere às boas práticas de governança e administração dos negócios, que têm como objetivo ampliar a transparência, eliminar a corrupção e desigualdades salariais. Também engloba boas práticas para contratação e integração de serviços, responsabilidades e independência do conselho, entre outros pontos.


Em resumo, o ESG envolve:

EnvironmentalSocialGovernance
Redução do desmatamento

Gestão de resíduos

Fontes de energia sustentável 

Economia e consumo consciente de recursos naturais

Preservação ambiental

Satisfação e experiência dos clientes

Proteção de dados e privacidadeInclusão, acessibilidade e diversidade 

Respeito e engajamento dos colaboradores

Relacionamento com a comunidade

Transparência e ética organizacional

Canais de denúncia

Igualdade de gênero nos conselhos

Códigos de conduta

Remuneração justa dos executivos

Como adaptar os serviços e investir em boas práticas de ESG?

Independente do setor ou porte do negócio, todas as empresas precisam se adaptar aos princípios e boas práticas de ESG. Isso porque, além de ser um novo fator para obter investimentos, todos os conceitos e boas práticas previstas beneficiam os negócios e experiência dos clientes. Por isso, é importante ter em mente que o ESG não é algo ruim ou mais uma burocracia para as empresas, mas sim um conceito que vem para fortalecer os negócios, o relacionamento com as pessoas e com a comunidade onde estes estão inseridos.

Para dar início e aplicar as boas práticas nas diferentes frentes do negócio, as lideranças devem envolver suas equipes, ouvir os clientes e avaliar pontos de oportunidades e riscos, revendo, por vezes, seus produtos e serviços prestados. Ao olhar para a jornada de uma forma ampla, analisando também o mercado e os aspectos relacionados ao ESG, as empresas podem expandir os negócios, fidelizar os clientes, reduzir taxas de turnover, entre outras vantagens.

Uma metodologia eficaz nesse processo, é o Design de Serviço que permite olhar os serviços de forma holística e que tem como objetivo principal aperfeiçoar os serviços a partir de diferentes aspectos. Leia o nosso material especial e entenda melhor o que é Design de Serviço – Dos conceitos à aplicação prática.

 

Photo by Markus Spiske on Unsplash 
Photo by Avel Chuklanov on Unsplash

Deixe uma resposta